sábado, 15 de agosto de 2009

para um poema de clarice abdalla


Apenas uma trajetória visceral temporária
entre um lugar que é, sonha ser, sem deixar pegadas.
A única viagem sem retorno é o amor.

Nenhum comentário: